#

Estamos chegando à terceira edição das dicas musicais semanais aqui do site. Até o momento, não tenho conscientemente tentado colocar gêneros específicos, ou aritstas que fazem mais o meu gosto. É evidente que a maioria dos artistas que indiquei são personalidades que me agradam, mas a única coisa que tem unido minhas escolhas até aqui é simplesmente o fato de serem canções lançadas nos últimos dois ou três meses e que me chamaram a atenção. E considero que este ano tem sido produtivo para artistas brasileiros, com alguns bons trabalhos que gostaria de destacar com mais enfoque no fim do ano.


Junho, neste sentido, não se diferencia muito de maio, abril e março , como meses em que artistas que são cativos à mim e a muitos estiveram ativos e lançaram ótimas canções. Espero que gostem das dicas desta semana, mas não deixem de curtir também o resto do material publicado por nós este mês aqui no site: crítica do estreante aqui no site Caíque Henry sobre Lightyear, uma resenha de Larissa sobre a minissérie na Apple TV+ Planeta Pré-histórico, minha crítica sobre Arremessando Alto da Netflix e um belíssimo texto do João Lucas Casanova sobre Bob Dylan. Sem mais delongas, às músicas!


Cat Power - You Got the Silver



Chan Marshall, também conhecida como Cat Power, é possivelmente uma das melhores intérpretes de covers atualmente. Igualmente respeitada por suas composições que bebem fortemente do blues e do folk, com influência forte do rock lo-fi que marcou sua geração, Marshall lança pela terceira vez em sua carreira um disco de covers. O número que mais me chama atenção é "You Got the Silver", originalmente escrita pelos Rolling Stones em seu clássico "Let it Bleed". Nas mãos de Power, a canção ganha um belíssimo ar sereno e quase contemplativo, realçando mais a característica romântica da letra de Jagger e Richards


Father John Misty - Buddy's Rendezvous



Para muitos, Joshua Tillman dispensa apresentações. O cantor e compositor americano, desde que largou a posição de baterista da Fleet Foxes, ele tem feito música sob a alcunha de Father John Misty. Seu novo trabalho, "Chlöe and the 21st Century", pega do lugar onde o seu último deixou. As canções são musicalmente semelhantes às que compuseram "God's Favorite Customer", um ótimo trabalho também por sinal. Tillman sempre me cativou pela forma em que suas histórias são vidas dentro de suas músicas, e em "Buddy's Rendezvous" a personagem feminina "Everybody's Girl" passa uma aura completa de fascínio. Canção essa que também ganhou um belo cover nas mãos da Lana del Rey


Tim Bernardes - Meus 26



Muito conhecido pelo seu trabalho com O Terno, Tim aparenta estar cada vez mais seguro de seus poderes como compositor. Expandindo cada vez mais seus horizontes musicais, seu segundo disco confirma esta noção. Dentre os números do álbum, não é fácil escolher qual o melhor momento. "Meus 26" me chama bastante a atenção pelo seu escopo, uma canção mais longa em meio a vários números curtos (mas ótimos), que tenta abranger questões como política, vida adulta e até a história do rock. Também gosto muito como ele usa a própria voz, dando um caráter mais amplo à canção. 


FKA Twigs - Killer



É difícil fugir da sensação de que FKA Twigs é das vozes mais interessantes e cativantes do R&B hoje em dia. Seus projetos são constantemente cativantes, e parece não haver muitos limites para suas composições. "Killer" é um single recentemente lançado pela cantora, acabou ficando de fora de seu novo registro de inéditas "Caprisongs", porém é uma canção tão interessante quanto às que lá estão. A música parece lidar com a ideia de um amor intenso porém perigoso, um tema não estrangeiro à música pop, porém raramente feito de maneira tão interessante como aqui. 


Luís Kiari - Paixão



Kiari é um artista muito interessante pra mim - ele sabe mesclar muito bem vários estilos em suas composições, e suas melhores canções têm claramente uma forte influência da MPB de mais prestígio, como sua parceria com Ivan Lins - "Ainda é Cedo". No entanto, ele ainda é um artista com ótimas canções à moda nordestina, e neste seu último EP "Casa de Ferreira", o forró é o gênero dominante. "Paixão" é a canção que mais me atraiu, mostrando que ele é de fato um artista versátil. 


Bala Desejo - Baile de Máscaras 



Até poucos dias atrás, nada eu conhecia sobre esta banda. Créditos à Larissa pela descoberta. Passei boa parte das últimas semanas ouvindo exaustivamente o divertidíssimo novo EP da Bala Desejo, "SIM SIM SIM", e não há canção tão divertida quanto "Baile de Máscaras". Uma visita ao instagram oficial deles, e vejo que estão fazendo turnê com Ana Frango Elétrico, algo que faz muito sentido pela pegada dos dois atos. Fica o desejo de passarem por aqui em breve. 


Chick Corea - Japanese Waltz



É difícil pensar num nome do Jazz moderno tão conhecido quanto o de Chick Corea.  Sua longa e ampla carreira o viu trabalhar com músicos de todos os tipos, formou bandas com essencialmente todo mundo respeitável de sua cena. Sua morte no ano passado nos despediu dele aos 79 anos, porém o fato de Corea ter sido ativo até mesmo nos 70, providencia muitas a serem apreciadas. Novas canções suas continuam sendo lançadas, e "Japanese Waltz" é uma composição que faz parte de uma coletânea que o homenageia, uma parceria com o ótimo clarinetista Richard Stoltzman.


Pusha T - I Pray For You



Difícil pensar num projeto feito pelo Pusha T que tenha decepcionado, ele é provavelmente um dos artistas mais prolíficos do Rap e sempre corresponde. "I Pray For You" é um exemplo de como ele sabe misturar uma pegada mais tradicional do hip-hop com produção moderna e versátil. Seus versos são sempre carregados de histórias de sua vida, e ele sempre colora essas histórias com a malícia de sempre de sua música.

Nenhum comentário. Seja o(a) primeiro(a) a comentar!